Hueso

O arquitecto Ignacio Cadena cobriu as paredes de um restaurante no México com ossos de animais.
22 / 01 / 2015
Fotografia: Jaime Navarro
Em Gualajara, México, o restaurante Hueso de Alfonso Cadena faz jus ao seu nome ao cobrir todas as suas paredes interiores com mais de 10 000 ossos de animais. Poderá parecer um pouco sinistro numa primeira impressão, mas o revestimento das paredes é justificado por uma inspiração Darwiniana, e encontramos, para além de ossos, também objectos e utensílios de cozinha intervalados com peças de artistas urbanos alusivas ao tema. Estes elementos foram depois cobertos com uma cor clara, que uniformiza todo o espaço e retira algum do peso simbólico de tantas ossadas. Todo o mobiliário escolhido apresenta-se como que intocado, e com um acabamento natural, o que dá continuidade à ideia para todo o restaurante Hueso.

O projecto esteve a cargo do arquitecto Ignacio Cadena, que cobriu o exterior do edifício de 1940 com uma «segunda pele», por via de uma camada de azulejos. Estes azulejos, produzidos artesanalmente, formam um padrão geométrico subtil que percorre todo o edifício. Na entrada, encontramos escrito com a mesma linha gráfica e sobre a cerâmica o nome do restaurante, dando já indícios do que poderemos encontrar lá dentro.