Alma de mulher

Londres, UK
29 / 07 / 2016
Projecto: Sera of London
www.seraoflondon.com
Área: 140 sq. meters

Fotos: Jake Fitzjones
Texto: Virgínia Capoto

 
A inspiração está no conjunto e entre pregas de tecido, na vida vegetal quase despudorada, em texturas e estórias dispersas. E há a luz coada, o chão cru e os tectos negros, zelando por um universo sensível. Este é o vislumbre de uma realidade que se completa apenas com Sera Hersham-Loftus em casa, quando a música se torna omnipresente e o ar recebe os aromas de incenso e óleo de rosas. Estando as portadas abertas, dos terraços chega o perfume fresco das ervas de cheiro.

Este é o projecto pessoal da decoradora de interiores, que transformou um apartamento de três quartos num edifício vitoriano em Little Venice, num espaço aberto com um quarto. Derrubou paredes e portas, recuperou as várias lareiras. Na fluidez, fez o conforto. Des-
construindo, criou “um mundo privado” à sua imagem: “É intensamente romântico, tal como eu sou loucamente romântica. É feminino e de- licado. É onde eu, mãe de três filhos já crescidos, posso viver em paz e pura harmonia comigo mesma.”

Quem conhece o trabalho de Sera of London, como é conhecida, não se surpreende: há quem diga que ela dá expressão ao paraíso, compondo espaços de sonho. A própria assevera só desenhar “casas com alma”. Nesta está a de mulher na sua essencialidade e teia de encantos.

“Mal entras pela porta – conta-nos –, pressentes o charme de um mundo antigo”. O espírito boémio afirma-se com mobiliário e peças vintage. Depois, Sera faz abajures em renda transparente, “intrínseca e modestamente eróticos. Assemelham-se a espartilhos de damas vitorianas ou a formas naturais sedutoras, como flores que lembram imagens do fotógrafo Robert Mapplethorpe”. Já as suas “almofadas exóticas e papéis de parede” evocam o quarto de uma artista de 1930. Este carácter sensual é ainda afirmado pelo jardim tropical interior, pelo modo como a natureza se enraíza na rotina doméstica.

A opção por pequenos focos de luz, incluindo por baixo das palmeiras, resulta numa luminosidade suave, que desenha rendas de sombra nos tectos. Faz parte do trabalho cuidadoso de quem assume a iluminação como fundamental nos seus projectos.
Uma casa com alma é um tesouro a resguardar. Sera preserva o seu deixando apenas entrar “quem tem uma energia similar e complementar” à sua. Assim também se constroem momentos de felicidade, ainda que a decoradora deixe a reflexão: “Como podemos ser realmente felizes quando vemos o sofrimento de outros?” E está coberta de razão, por muito que, olhando para este apartamento, desejemos que o mundo seja, por todo, inspirador.