Entrevista a EOOS

A propósito da exposição no MAK que celebra o 20.º aniversário do estúdio de design
11 / 03 / 2015
Fotografia: © Udo Titz
© MAK/Nathan Murrell
© Paul Prader
© MAK/Georg Mayer
A exposição EOOS no museu MAK em Viena celebra os 20 anos de trabalho do estúdio homónimo. Fundado em Viena no ano de 1995 por Martin Bergmann, Gernot Bohmann e Harald Gruendl, o trio especializou-se no desenvolvimento inúmeros projectos de design de produto e interiores, trabalhando de perto com a indústria e as mais prestigiadas marcas. Juntos, desenvolveram o que chamam de poetical analytical creative process, que forma a base para o desenvolvimento dos projectos em que se vêem envolvidos.

A mostra no MAK é a primeira retrospectiva de todo o trabalho do estúdio vienense, e permite percorrer as duas décadas de projectos, devidamente contextualizadas historicamente. Tivemos a oportunidade de recolher algumas impressões sobre a exposição com um dos designers de EOOS, Harald Gruendl, expressas na entrevista que se segue.
 
Como surgiu a oportunidade para a exposição EOOS no MAK?
Fomos convidados pelo Christoph Thun-Hohenstein, o director do MAK. Quando ele nos abordou com a ideia de uma exposição, dissemos-lhe que celebraríamos 20 anos em 2015. Foi então que se tornou um projecto maior, para ambos.

Como decorreu o processo de desenvolvimento da exposição?
Discutimos o projecto para a exposição como o nosso curador, Thomas Geisler, que é o responsável pela colecção de design do museu. Todos gostamos da ideia de não expôr num white cube, mas utilizar o conteúdo da extraordinária study collection exposta no MAK Design Lab para contextualizar o nosso trabalho. A poetical analysis, a estratégia de investigação do EOOS, traz-nos para diferentes tempos e culturas. Então, olhámos para o nosso trabalho utilizando a estrutura do MAK Design Lab. Há tópicos que se relacionam com o dia-a-dia como cozinhar, comer e beber, sentar, decorar, e por aí fora. Olhámos para o nosso trabalho e escolhemos projectos para cada um dos tópicos. A apresentação discutimos com todos os curadores do MAK.
 
É esta a altura para ter uma exposição retrospectiva do vosso trabalho?
Aconteceu por acaso. Não tínhamos planeado nada de especial para 2015 até termos sido convidados pelo MAK para a nossa primeira grande exposição. Agora, estamos a terminar a nossa primeira monografia, que será co-publicada pelo MAK. Foi uma janela de oportunidade para reflectir sobre o que aconteceu de uma forma organizada e concentrada, com a ajuda de uma das mais interessantes instituições de design do mundo.

O que pode ser visto sobre cada projecto apresentado?

Nós vemos o nosso trabalho na tensão entre o arcaico e o high-tech. O cartaz da exposição mostra o nosso Lichtlüfter para a Bulthaup, um exaustor que parece um OVNI, sobre um pote antigo de três pernas do norte de Itália do século XV. Isto pode ser visto como uma metáfora para o nosso tempo, os nossos sonhos e medos, a nossa história e futuro.
 
Como é ver o vosso trabalho exposto num museu?
Estamos muito gratos pela oportunidade que o MAK nos deu para condensar tudo o que fizemos, e contextualizar a exposição na história do design. O nosso trabalho está permanentemente a ser exibido em showrooms por todo mundo, por isso tivemos de encontrar outra abordagem para uma apresentação num museu. Mostramos processos, associações, conexões – coisas que normalmente não se vêem num showroom. E com a instalação EOOS Transforms (ver video em baixo), mostramos influência dos humanos para transformar e mudar o significado e função do nosso mobiliário: pequenos robots estão a transformar objectos para mostrar uma das nossas principais estratégias de design. Nunca pensámos colocar uma cadeira num pedestal.

A exposição estará em exibição até ao dia 17 de Maio de 2015 no MAK em Viena.